Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Oh no! Books!

Livros, fotografia e viagens. (na verdade, é quase só livros)

Oh no! Books!

Livros, fotografia e viagens. (na verdade, é quase só livros)

Construir uma casa

Estou a usar a palavra construir de forma muito livre. A casa já existia. Já a comprei há muitos anos e, também há muitos anos, que estava desabitada. 

Resolvi que, em vez de alugar uma nova casa, estava na hora de dar carinho à minha. Arranjar o que precisasse de ser arranjado e fazer da minha casa, a minha casa.

um gato e um abacaxi.jpeg

Ainda não tenho uma cozinha completa, mas tenho um gato amarelo e um abacaxi.

Urban jungle na cozinha.jpeg

Percebi que vou querer menos móveis na cozinha. Preciso de espaço para as plantas.

Urban jungle na sala.jpeg

O mesmo se aplica à sala. Durante a pandemia, construi uma selva em casa e percebi que me trazia alegria.

A meloa e a Hoya.jpeg

Os limões.jpeg

Mudar de casa em março, no meio da pandemia, não foi um processo fácil. Tive a sorte de ter um pai que sabia (e podia e queria) trabalhar numa data de ofícios. Na altura em que não podíamos sair de casa, eu tinha a cozinha em tijolo. 

Foi um desafio, mas também me ensinou muitas coisas. As lojas estavam fechadas e eu descobri que uma secretária pode, perfeitamente, fazer de mesa de cozinha. Que o importante não são os móveis. 

Era para ser sobre as férias, mas depois eles ganharam

Tinha decidido partilhar convosco as fotos que tirei durante as minhas férias, mas depois vi estas e percebi que me trazem mais sorrisos que qualquer praia ao pôr-do-sol, por mais paradisíaca que seja.

IMG_2584.jpegA dormir num dos seus sítios preferidos, bem no alto, bem protegida.

 

IMG_2585.jpegA dormir de barriga para cima, ao contrário do que o senso comum deveria ditar.

 

IMG_3233.jpegDesfocado, mas com uma pata por cima da máquina de escrever.

 

IMG_3222.jpegA dormir no conforto.

 

IMG_3249.jpegCom patas esticadas e cruzadas, como uma verdadeira donzela.

 

As fotografias são todas em filme. Aprendi a apreciar a surpresa de as receber (às vezes meses depois de as ter tirado) e de redescobrir memórias.

O sucesso do amarelo e um obrigada

O Gato amarelo foi destacado!

Vocês não sabem, mas acontece-me sempre isto.

Imaginem que tenho, no Instagram por exemplo, dezenas de fotos bem conseguidas sobre os mais variados temas. Sabem que fotos têm sempre, mas sempre, mais likes? As fotos do gato amarelo. 

Imaginem agora que tenho um novo blog, imaginem também que o Sapo foi simpático o suficiente para me destacar. Adivinhem agora que post foi? Sim, o do gato amarelo

Atenção, não me estou aqui a queixar, que amo aquele gato como se não houvesse amanhã, mas é só um bocadinho da minha inveja a saltar. É que a única coisa que aquela bola de pêlo tem que fazer é comer e dormir. Pumba! Torna-se o preferido. 

Tudo isto só para vir aqui agradecer ao Sapo por me ter destacado, por também ser fã do gato amarelo (quem não) e pelo voto de confiança no blog novato ❤️